quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Conjunto Etnográfico de Moldes jogou ao Entrudo



A Comadre e o Compadre (Foto de Município de Arouca - Facebook)
 Apesar do frio e da chuva que caía sem dar tréguas, o Conjunto Etnográfico de Moldes marcou presença na noite de segunda-feira, dia 11 de Fevereiro, em mais uma edição do Jogar ao Entrudo, promovida pela Câmara Municipal de Arouca.

A encenação/recriação da Queima do Compadre e da Comadre, uma tradição carnavalesca da freguesia de Moldes, foi o ponto alto da noite. Vestidos a rigor, os elementos do grupo de Moldes conseguiram que o público presente na renovada Praça Brandão de Vasconcelos conhecesse esta tradição já em desuso e, aos que já a conheciam, fizeram-nos reviver vivências do mundo rural que já se encontram em desuso.

A recriação da Queima do Compadre e da Comadre teve o apoio do IPDJ, no âmbito do PAJ.


Os «protagonistas» da recriação (Foto de Município de Arouca - Facebook)

O Compadre e a Comadre, bonecos de palha e papel que simbolizavam o homem e a mulher respectivamente, preencheram o quotidiano de algumas aldeias da freguesia de Moldes. Logo no final do mês de Janeiro, homens e mulheres, acrescentavam à sua lide diária, às escondidas e fugidas, a tarefa de dar vida àqueles que na terça-feira gorda, surgiriam à luz do dia.
Toda a aldeia se envolvia na brincadeira e os homens tentavam roubar o compadre que era feito às escondidas pelas mulheres e estas, por sua vez, tentavam roubar a comadre que era feita às escondidas pelos homens. A festa, o jogo, ou se preferirmos a guerra de sexos, terminava na terça-feira de Carnaval com a queima do Compadre e da Comadre, depois de muita luta pela apanha dos respectivos bonecos.


sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Vozes das mulheres do Conjunto Etnográfico de Moldes foram ouvidas no metropolitano de Lisboa


Foto de Sandra Gomes

As vozes do grupo de Corais do Conjunto Etnográfico de Moldes integraram a programação da estação de metro da Baixa-Chiado, em Lisboa, no passado mês de Dezembro. As gravações decorreram no dia 8 de dezembro, promovidas por Tiago Pereira, mentor do projeto «A música portuguesa a gostar dela própria».
«A música portuguesa a gostar dela própria» consiste na recolha/gravação do património imaterial português com vista à sua preservação e divulgação. O Conjunto Etnográfico de Moldes deu a conhecer o património de Arouca e orientou a vinda da equipa ao concelho para efectuar gravações que integraram um projecto específico a implementar na estação de metro Baixa-Chiado, em Lisboa.
O «Baixa-Chiado PT Bluestation» é um projecto conjunto da Portugal Telecom e do Metropolitano de Lisboa que teve como objectivo assegurar uma programação lúdico-cultural nos 365 dias do ano de 2012, naquela estação de metro de Lisboa.
O projecto «A música portuguesa a gostar dela própria» foi o responsável pela animação cultural durante o mês de Dezembro, em que as tradições portuguesas foram o mote para as actividades desenvolvidas. Fizeram parte da programação projecções-vídeo com tradições de Natal e Passagem de Ano em aldeias do interior do país, entre outras, e Arouca fez-se representar pela sua polifonia e doçaria de Natal. Assim, as vozes das mulheres do Conjunto Etnográfico de Moldes e também das mulheres de Tebilhão, bem como das tradições de Natal integraram a programação do mês de Dezembro da estação de metro da Baixa-Chiado, em Lisboa.


video
PROJECTO 516
Gravado em Moldes a 9 de Dezembro de 2012
Realização: Tiago Pereira
Som: Rosa Pomar
Assistidos por: Telma Morna e João Cabral